Seminário “Igualdade de Género e Não Discriminação”

banner_igualdade

Dia 23 de Maio decorreu no Centro de Exposições de Odivelas o seminário “Igualdade de Género e Não Discriminação”, organizado pela FNAJ – Federação Nacional de Associações Juvenis no âmbito do projecto “Abrindo Caminho para a Igualdade”, iniciativa que visa combater a discriminação nas áreas do género, orientação sexual, etnia, deficiência, religião ou crença, através da sensibilização das/os jovens para a igualdade e não discriminação.

A REDE esteve presente para falar do seu trabalho sobre “Estereótipos de Género e Educação”, painel no qual participaram também Marina Birrento da CIG – Comissão para a Cidadania e Igualdade de Género, que salientou a importância do Estado, especialmente da escola, para o combate à naturalização das desigualdades e Maria do Mar Pereira do Centre for Interdisciplinary Gender Studies – University of Leeds, com o seu mais recente trabalho “Fazendo Género no Recreio – A negociação do género em espaço escolar”.

Um segundo painel sob o tema “Conciliação da Vida Pessoal, Familiar e Profissional” contou com a participação de Ana Vicente da GIG, Ana Cristina Marques do CIES-ISCTE – Instituto Universitário de Lisboa e Sara Freire da Associação Juvenil de Deão. Aqui, discutiu-se a condição da mulher enquanto trabalhadora. Apesar de mais habilitadas, as mulheres ainda ocupam categorias profissionais menos qualificadas, têm mais dificuldade em chegar a lugares de topo/decisão, a desigualdade salarial persiste e são as mulheres quem ainda hoje assegura maioritariamente as tarefas domésticas e o apoio à família. É preciso pois combater a desigualdade entre mulheres e homens no apoio à vida familiar, grande causa para a desigualdade no trabalho e no emprego.

Para além destes, tiveram lugar mais dois painéis, um sobre “Violência de Género – Violência Doméstica e no Namoro” com a participação de Carina Quaresma (Direcção-Geral da Administração Interna), Marlene Matos da Universidade do Minho e de Cecília Loureiro, que partilhou dados sobre as/os jovens e a sua percepção de violência, chamando a atenção para a banalização da mesma, especialmente da violência não física. E outro sobre “Orientação Sexual, Identidade e Expressão de Género” com Laurinda Ladeiras (Direcção –Geral de Educação), Raquel António (ISCTE) e Rita Paulos (Rede Ex Aequo).

Por fim, decorreram ao longo do dia vários workshops , tendo a REDE dinamizado o workshop “Estereótipos de Género e Educação”, onde teve a oportunidade de utilizar mais uma vez o seu “Kit Pedagógico sobre Género e Juventude”, útil a agentes de educação não-formal e qualquer entidade que desenvolva trabalho junto de jovens e pretenda explorar a área da Igualdade de Género.
Este foi um espaço de partilha, debate, cimentar de parcerias e criação de novas sinergias em prol de um trabalho contínuo pela igualdade de oportunidades entre mulheres e homens. Aplaudimos a FNAJ pela iniciativa!

This entry was posted in . Bookmark the permalink.

Leave a Reply