Campanha 50 50: Assina a petição, divulga, associa-te

Não há democracia europeia moderna sem igualdade de género

Em Junho de 2009 terão lugar as eleições para o Parlamento Europeu e a renovação da Comissão Europeia e, em breve, serão realizadas importantes nomeações para funções de topo ao nível europeu.
 
As mulheres ainda se encontram seriamente sub-representadas nas posições de tomada de decisão em todos os países europeus e nas Instituições da União Europeia.
 
É necessário agir para alcançar uma democracia real através da implementação da democracia paritária, uma representação igualitária de mulheres e de homens nas posições de tomada de decisão.
 
A Europa és tu, sou eu, somos todos e todas nós! São tomadas importantes decisões ao nível europeu que afectam o dia a dia de cada um e cada uma de nós. As mulheres têm que estar igualmente representadas quando estas decisões são tomadas.
 
Há que promover a existência de mais mulheres em posições de tomada de decisão e assegurar que as perspectivas das mulheres estão asseguradas nos debates e nas políticas europeias.
 
É preciso actuar já:
Junta-te à Campanha da Plataforma Portuguesa para os Direitos das Mulheres – Lobby Europeu das Mulheres !

PLATAFORMA PORTUGUESA PARA OS DIREITOS DAS MULHERES – LOBBY EUROPEU DAS MULHERES

CAMPANHA 50/50:

Não há democracia europeia moderna sem igualdade entre mulheres e homens.
Em 2009, os europeus e as europeias elegerão um novo Parlamento Europeu. Veremos uma nova Comissão Europeia liderada pelo/a seu/sua Presidente e um /a novo/a Presidente do Parlamento Europeu. Quantos membros do Parlamento Europeu serão mulheres? Será que todos os líderes europeus usarão fato e gravata?

O cenário do próximo ano apresenta uma excelente oportunidade para que a União Europeia se
torne mais democrática. Uma democracia moderna pressupõe a igualdade entre os sexos e que mulheres e homens participem equitativamente nos processos e posições de tomada de decisão que afectam o destino de ambos.

As mulheres representam mais de metade da população da UE. Porém, a sua sub representação actual no processo decisório, a todos os níveis das instituições europeias, constitui um real obstáculo à legitimidade democrática da União Europeia. Simultaneamente, tal desequilíbrio compromete toda e qualquer tentativa para se promover uma democracia mais inclusiva e participativa.

É chegada a hora de agir!

A consolidação de uma democracia justa na Europa passa forçosamente pela representação de
todos os europeus, mulheres e homens.

A igualdade entre homens e mulheres é uma condição para a modernização dos nossos sistemas políticos, para que ambos os sexos, com a sua diversidade, partilhem equitativamente direitos, responsabilidades e poder. A introdução da paridade deve estar no centro das iniciativas europeias em prol da participação dos cidadãos e das cidadãs no processo decisório, da promoção da legitimidade da União Europeia e da instauração de políticas que reflictam as necessidades e aspirações de todos os europeus e europeias.

Apelamos a todos/as os/as decisores/as, pessoas e organizações empenhados na promoção da democracia e da justiça para que apoiem esta campanha a todos os níveis pondo de parte as fronteiras nacionais e as clivagens políticas e que apoiem esta iniciativa em todas as frentes.

Apelamos a medidas imediatas e a longo prazo, promotoras da igualdade entre homens e mulheres aos níveis europeu e nacional, para melhorar o funcionamento e a qualidade dos nossos sistemas políticos.

Exortamos, por conseguinte:

• Todos os partidos políticos europeus e nacionais a agir imediatamente de modo a
assegurarem a paridade nas suas candidaturas às eleições para o Parlamento Europeu, em
Junho de 2009 – por exemplo, através das suas listas eleitorais e na definição dos seus
programas.
• As mulheres e os homens da Europa a aproveitarem esta oportunidade para se
manifestarem e a exercerem o seu direito de voto em 2009 em prol da democracia, da
igualdade entre homens e mulheres e da justiça.
• Os Estados-Membros da UE a honrar os compromissos democráticos assumidos
perante mulheres e homens, assegurando a paridade nas nomeações para os cargos
de topo ao nível comunitário em 2009.
• As organizações da sociedade civil e os sindicatos na Europa a apoiar de modo
activo este convite no respectivo âmbito, incluindo uma referência à igualdade entre
homens e mulheres nos seus manifestos eleitorais, bem como nos contactos
desenvolvidos com os círculos decisores.

Começa por conhecer e assinar a petição aqui. São muitas as pessoas públicas e também anónimas que já se associaram. Tu também podes fazer a diferença.